projetos

Henrique Cazes Solista de cavaquinho © Marilia Figueiredo

Henrique Cazes Solista de Cavaquinho

Tendo acumulado ao longo de vários trabalhos um repertório extenso e diversificado, Henrique Cazes desenvolveu variações no grupo que o acompanha, de acordo com as características de cada repertório e o ambiente em que será realizada a apresentação. Em pequenos espaços, cavaquinho com acompanhamento de violão.

Em palcos maiores e espaços ao ar livre, a opção é o Henrique Cazes Quarteto, que conta, além do cavaquinho, com violão, contrabaixo e percussão. Para executar o repertório da série Beatles’n’Choro, o Quarteto ganha a participação de um solista de instrumentos de sopro.

Sempre buscando uma linguagem fluente e popular, sem nenhuma sombra de saudosismo, o trabalho de Henrique Cazes como solista de cavaquinho engloba desde releituras de clássicos de Waldir Azevedo e Pixinguinha, os originalíssimos arranjos da série "Beatles’n’Choro" até o repertório autoral da coleção Música Nova para Cavaquinho. 

Henrique Cazes & Marcello Gonçalves

Com mais de 20 anos de afinada parceria, o duo Henrique Cazes & Marcello Gonçalves iniciou sua trajetória mergulhando na obra de Pixinguinha. O espetáculo “Pixinguinha de Bolso” estreou no centenário do compositor em 1997 e três anos depois saiu em disco, lançado com plenos elogios da crítica no Brasil, Japão e França. Cazes & Gonçalves  participaram de festivais como o Kuhmo Chamber Music Festival na Finlândia e o  Festival Internacional de Agosto na Venezuela, dentre outros.

Seguiram-se vários projetos como os 4 CDs da série “Beatles’n’Choro” e mais “Uma história do Choro” e “Tudo é Choro”, onde o cavaquinho de Henrique e o violão de Marcello foram a espinha dorsal.

Em fins de 2007, o duo lançou seu segundo disco “Vamos acabar com o baile” inteiramente dedicado a obra de Aníbal Augusto Sardinha, o Garoto e em 2015, para o centenário do compositor virtuose, ampliaram o repertório no espetáculo "Garoto 100 Anos". 

Henrique Cazes e Marcello Gonçalves © Marilia Figueiredo
Henrique Cazes e Cliff Korman © Marilia Figueiredo

Duo Cazes & Korman

Músicos de larga experiência como instrumentistas e arranjadores, Henrique Cazes & Cliff Korman unem seus instrumentos e idéias em um programa dividido entre Pixinguinha, Radamés Gnattali e composições próprias.

Cazes tem sido apontado como o melhor solista de cavaquinho da atualidade e é autor do livro “Choro do Quintal ao Municipal”, que resume 150 anos de história do Choro.

Foi responsável nos últimos anos por remontagens de tesouros da música brasileira do século XX como a Orquestra Pixinguinha e o Novo Quinteto.

Korman, jazzista americano de Nova Iorque, aprofundou seu contato com a música brasileira a partir de trabalhos feitos em parceria com Paulo Moura e de uma pesquisa em que comparou as formas de improvisação do jazz e do choro. Hoje vive no Brasil e é professor da UNIRIO.

Juntos, os músicos mostram arranjos camerísticos e com muito espaço para a improvisação. Entre o choro e o jazz, em perfeita harmonia.

Pixinguinha, As Cinco Estações

 

Muito se fala sobre Pixinguinha, mas poucos conhecem a grandeza e o alcance de seu trabalho, pilar fundamental sobre o qual se ergueu a Música Popular do Brasil. Diante dessa constatação, Marcelo Vianna, ator, cantor e neto do compositor e Henrique Cazes, músico e pesquisador, se uniram em um trabalho formulado para colocar lado a lado informação, música e o encanto humano de Pixinguinha.  

Partindo de uma descrição da realidade social em que Alfredo da Rocha Vianna Filho foi criado e de seu processo de musicalização, Marcelo e Henrique dividem a trajetória da construção de Pixinguinha em cinco etapas, que compreendem desde sua estréia profissional até o seu centenário e revalorização. A história de "Carinhoso", clássico maior da música brasileira que completa 100 anos em 2017 funciona como eixo central que interliga as Cinco Estações. O trabalho conta com a participação do violonista João Camarero e do percussionista Beto Cazes.

Henrique Cazes e Marcelo Vianna © Marilia Figueiredo
Orquestra Pixinguinha © Marilia Figueiredo

Orquestra Pixinguinha

                  

Em 1986 o instrumentista, arranjador e pesquisador Henrique Cazes encontrou uma coleção de arranjos de Pixinguinha na Biblioteca Nacional e constatou que eles nunca haviam sido gravados. Parte desta coleção se transformou dois anos depois no disco "Orquestra Brasília", lançado no Brasil, Japão e França.

O resultado foi tão bom, que o que era inicialmente uma orquestra de estúdio foi montada ao vivo, empolgando platéias com os maxixes, polcas, choros e sambas afro de Pixinguinha. Assim surgiu a Orquestra Pixinguinha, reunindo craques dos sopros, cordas e percussão, em torno do estilo do mais original arranjador brasileiro e levando para o palco a fluência popular e dançante do Mestre do Choro.

 

Orquestra Pixinguinha:

Andrea Ernest Dias - flauta e flautim

Nelson Oliveira e Diogo Gomes - trompetes

 Rui Alvim e Daniel Garcia - sax alto

 Macaé - sax tenor

 Fabiano Segalote - trombone

 Eliézer Rodrigues - tuba

 Paulão - violão

 Oscar Bolão - bateria

 Beto Cazes - percussão 

 Direção musical e cavaquinho: Henrique Cazes

Henrique Cazes & Orquestra

 

Abrindo o leque de possibilidades para o cavaquinho solista, Henrique Cazes tem atuado com orquestras dentro e fora do país, apresentando um repertório dividido entre a música de concerto e o choro. Fazem parte desse repertório:

Ernani Aguiar - Concertino para Cavaquinho e Cordas

Radamés Gnattali - Uma rosa para Pixinguinha

                            - Variações sem tema

Waldir Azevedo - Delicado

                          - Pedacinhos do céu

                          - Brasileirinho

Pixinguinha - Oito batutas

                     - Glória

                     - Um a zero

Henrique Cazes e Orquestra

© 2017  Desenvolvido por Márcia Figueiredo

© Fotos Marília Figueiredo

instagram Henrique Cazes
Orquestra Pixinguinha